Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Junho > Arrecadação atinge R$ 97,6 bilhões em maio

Notícias

Arrecadação atinge R$ 97,6 bilhões em maio

Arrecadação federal

No acumulado ao ano, valor totalizou R$ 544,48 bilhões, um aumento real de 0,35%
publicado: 20/06/2017 16h46 última modificação: 30/06/2017 17h41
Gustavo Raniere/MF

A Receita Federal divulgou nesta terça-feira (20) o resultado da arrecadação do governo federal, que atingiu R$ 97,6 bilhões em maio deste ano, o que representa uma redução de 0,96% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já no acumulado de janeiro a maio, o valor chegou a R$ 544,48 bilhões, alcançando um aumento real de 0,35%, comparados aos cinco primeiros meses de 2016. 

Em relação às receitas administradas pela RFB – excluídas as dos outros órgãos – o valor arrecadado foi superior a R$ 96 bilhões, uma redução de 0,31% em relação a maio do ano passado. No período de janeiro a maio deste ano, a arrecadação chegou a R$ 528,48 bilhões. Em termos reais – conforme atualização do IPCA – esse resultado é 0,82% menor do que no acumulado de janeiro a maio do ano passado.  

Para o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, a arrecadação do mês de maio foi determinada pelo comportamento dos indicadores macroeconômicos, quando a produção industrial recuou  4,5% - em comparação a maio de 2016 - e as vendas de bens ainda apresentaram uma redução de 0,37%. No entanto, já no último mês, a massa salarial avançou 1,74%, enquanto o valor em dólar das importações cresceu 10,78%. 

Malaquias lembrou que, apesar de o país ter apresentado um desempenho satisfatório da economia no primeiro trimestre do ano, este acabou não sendo um fator de influência direta no resultado da arrecadação, em função das especificidades tributárias do agronegócio. Na avaliação de Malaquias, considerando todas as atividades econômicas, o desempenho da arrecadação deve ser considerado bom diante do atual o cenário.

 “Nós tivemos um resultado do PIB extremamente satisfatório em razão do bônus do agronegócio, que é um resultado que aparece no início do ano, mas que não se refletiu na arrecadação, porque o agronegócio é um setor levemente tributado. Além disso, grande parte do resultado do agronegócio é voltado para exportação e as exportações são  desoneradas de tributos. Isso faz com que, apesar de nós termos um desempenho satisfatório na economia com a recuperação e a retomada do PIB já em números positivos, nós não tenhamos esse reflexo imediatamente na arrecadação”, explicou.

Nesse sentido, Malaquias enfatizou que esse é um efeito que vai começar a aparecer nos próximos meses, levando à melhora na arrecadação. “A partir do segundo semestre, já  vamos ter resultados bem positivos em relação à receita vinculada ao agronegócio, em função da comercialização da produção e da compra  de máquinas e equipamentos pelos produtores rurais", esclareceu.

Confira o resultado da arrecadação do governo federal de maio.


Multimídia