Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2016 > Novembro > Meirelles: compromisso com ajuste é o ponto mais importante do pacto

Notícias

Meirelles: compromisso com ajuste é o ponto mais importante do pacto

Ajuste fiscal

Para ministro da Fazenda, acordo firmado ontem entre estados e União vai ajudar também a evitar novas crises fiscais
publicado: 23/11/2016 16h18 última modificação: 23/11/2016 19h01
Isac Nóbrega/PR

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vê o compromisso dos estados com as medidas do ajuste fiscal como o ponto mais importante do pacto nacional pelo equilíbrio de contas. Proposto nesta terça-feira (22) pelos governadores em reunião com o presidente da República, Michel Temer, o acordo firmado garantirá que os estados não voltem a enfrentar uma crise fiscal como a atual.

Em entrevista exclusiva ao Portal Planalto, Meirelles entende que o cumprimento do acordo e o apoio às medidas de ajuste são os caminhos para os estados saírem da crise que enfrentam. "O mais importante é o ajuste fiscal dos estados, é aquilo que diminui as despesas dos estados permitindo que eles mais à frente possam cumprir os seus compromissos”, afirmou o ministro.

A realização deste ajuste fiscal global, envolvendo todas as esferas de governo, permitirá a recuperação da economia brasileira. Dentre outras consequências positivas, proporcionará um aumento na arrecadação de municípios, estados e governo federal.

Ao se comprometerem com o ajuste, os estados e o Distrito Federal receberão uma ajuda de R$ 5 bilhões da União. O valor virá de recursos da multa paga por quem repatriou recursos do exterior. Para Meirelles, a quantia é uma ajuda importante para o pagamento das despesas deste fim de ano, como folha de pagamento e benefícios de pensionistas.

Na visão do ministro, o conjunto de medidas revela o compromisso do governo com a retomada do crescimento econômico e com o benefício a todos os brasileiros. 

Meirelles revelou a preocupação do governo em fazer o País voltar a gerar empregos e a aumentar a renda dos trabalhadores brasileiros. "Isto é o que tem de ser de fato priorizado no nosso trabalho e no trabalho de todos, que é o que estamos fazendo. Visando a que a economia volte a crescer, o desemprego caia, empregos possam voltar a ser criados, a inflação caia e a renda dos brasileiros melhore”, afirmou.


Mutimídia

Fonte: Portal Planalto

 

registrado em: