PMIMF


Histórico

 

As atividades realizadas no âmbito da frente de trabalho Rede de Inovação representada pela Rede de Inovação da Gestão (Grupo de Interface e Grupos Técnicos) e coordenada pela Subsecretaria de Gestão, da Secretaria Executiva, foram iniciadas em setembro de 2011, pautadas em um plano de trabalho que prevê a execução das seguintes etapas/ações:

  1. Realização de Diagnóstico da Cultura dos Órgãos do MF em Gestão de Processos e Projetos;
  2. Desenho do modelo de escritórios de projetos e processos a ser implantado no Ministério da Fazenda;
  3. Definição de metodologias de gerenciamento de projetos, de processos e de portfólio;
  4. Monitoração do processo de implantação dos escritórios de projetos e de processos no contexto do Ministério da Fazenda;
  5. Contratação do ferramental tecnológico a ser utilizado;
  6. Treinamento e capacitação de pessoal com base nas metodologias definidas e pressupondo o uso das ferramentas adquiridas/contratadas; e
  7. Contratação de serviços de apoio especializados para operacionalização dos escritórios de processos e projetos.


Resultados dos trabalhos da Frente "Rede de Inovação"

Os produtos intermediários resultantes das ações e atividades são produzidos em um processo de construção coletiva, respeitando-se a cultura dos diversos órgãos integrantes da rede de inovação da gestão, por meio de reuniões e oficinas de trabalho.

Na figura “1- Entregas intermediárias da Rede de Inovação” podem ser visualizadas as etapas do plano de trabalho dessa frente de atuação que já foram realizadas ou estão em andamento: Imagens etapas da Rede

   Figura 1 - Entregas Intermediárias da Rede de Inovação da Gestão

Parte das etapas do plano de trabalho já realizadas estão contempladas no documento “Modelo de Governança e Operacionalização da Inovação de Gestão no Ministério da Fazenda”, aprovado em reunião extraordinária do Comitê Estratégico de Gestão do MF em 25 de junho de 2012, por meio da Resolução Nº 02/2012, Anexo III.

O modelo de governança para inovação da gestão foi desenvolvido a partir de uma visão estratégica, privilegiando a ancoragem no planejamento; a concepção de redes como espaço de troca, negociação e decisão coletiva; o conhecimento sobre a natureza do trabalho executado em cada unidade como forma de orientação para escolha da ação mais facilitadora da inovação; a estruturação de escritórios obedecendo a critérios e responsabilidades para agregação de valor (cadeia de valor); e a autonomia dos órgãos quanto à escolha do modelo mais adequado à sua unidade respeitados os modelos básicos negociados.

O modelo contempla:

  • Premissas e diretrizes de implementação:consolida a definição de premissas e diretrizes estratégicas quanto à abrangência, modelo de relacionamento e autonomia dos escritórios no MF, bem como a responsabilidade por sua implantação;
  • Modelo de relacionamento: regula o relacionamento entre as diversas estruturas e espaços para operacionalização metodológica;
  • Configuração da tipologia de escritório: defini os múltiplos perfis que os escritórios podem assumir de forma a melhor atender às estruturas de cada unidade;
  • Cadeia de Valor para a inovação da gestão: identifica o conjunto de macroprocessos necessários à operacionalização dos escritórios de processos e projetos de acordo com o perfil do escritório;
  • Metodologia básica de Gestão de Processos: estabelece os requisitos mínimos da Metodologia de Mapeamento de Processos que devem ser utilizados no mapeamento dos processos corporativos;
  • Metodologia básica de Gestão de Projetos: estabelece os requisitos mínimos da Metodologia de Gerenciamento de Projetos que devem ser observados pelos responsáveis na gestão dos Projetos Estratégicos Corporativos – PEC’s e servem de referência para gestão dos demais projetos no âmbito do MF;
  • Metodologia de gestão do portfólio de PEC´s: estabelece os requisitos mínimos da Metodologia de Gestão de Portfólio no que diz respeitos aos PEC´s; e
  • Sugestão de metodologia básica para Gestão de Portfólio em cada unidade: Estabelece os requisitos mínimos da Metodologia de Gestão de Portfólio a ser utilizada na SGE para os projetos próprios, ficando como sugestão para serem utilizadas pelas unidades que assim o desejarem.

 

Em relação às etapas “elaborar termos de referências...” e “contratar serviços e ferramentas”, no período de junho de 2012 a janeiro de 2013 a Secretaria-Executiva organizou as estratégicas de contratação e executou as atividades da seguinte maneira:

1. Ferramentas

  • Adquiridas e disponibilizadas licenças da ferramenta de modelagem de Processos “Aris 7.2” para os órgãos do Ministério da Fazenda alcançados pelo PMIMF e para estruturação do Escritório de Inovação da Subsecretaria de Gestão Estratégica (SGE/SE), com foco em processos.

  • Adquiridas e disponibilizadas licenças da ferramenta de gestão de projetos “MS Project 2010” para os órgãos do Ministério da Fazenda alcançados pelo PMIMF e para estruturação do Escritório de Inovação da Subsecretaria de Gestão Estratégica (SGE/SE), com foco em projetos.

2. Contratação de serviços para operacionalização do Escritório de Inovação da SGE/SE e para o Desenho da Cadeia de Valor do MF e dos órgãos alcançados pelo PMIMF

Foi desenhada uma estratégia para a terceirização de serviços de apoio à operacionalização do escritório inovação da SGE/SE com foco em gestão/mapeamento de processos. Neste sentido a contratação dos serviços se deu em três blocos, a saber:

 Bloco de Serviços

No 1º Bloco de serviços a empresa contratada foi a Intelit Processos Inteligentes Ltda. No 2º bloco de serviços a empresa contratada foi a Memora Processos Inovadores. Já no 3º bloco de serviços a empresa contratada foi a EloGroup.

Além dessas empresas contratadas, com o início dos trabalhos de estruturação do Escritório de Projetos da SGE/SE identificou-se a necessidade de contratação de mais uma empresa que realizasse a customização e suporte à ferramenta de gerenciamento de projetos do escritório. Após a realização do processo de licitação a empresa contratada para prestar o serviço foi a T-IT Consultoria & Serviços.

Em relação à etapa “operacionalizar escritórios de projetos e processos”, o Escritório de Inovação da Gestão da SGE (Escritório de Processos e Projetos) foi estruturado como um projeto piloto para atender aos órgãos do Ministério que não possuem na sua estrutura um escritório de inovação e para servir como modelo de implantação, operacionalização para os órgãos que terão escritórios em sua estrutura, além de ser o escritório que recebe e consolida as informações estratégicas relativas aos processos e projetos do MF.