Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Setembro > ENCCLA lança campanha #Todos Juntos Contra Corrupção

Notícias

ENCCLA lança campanha #Todos Juntos Contra Corrupção

Cidadania

Coaf integra Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro – ENCCLA que busca consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção, fomentando a integridade social e a educação para a cidadania
publicado: 14/09/2017 18h08 última modificação: 14/09/2017 18h54

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro – ENCCLA lançou nesta terça-feira (12/09) a Campanha Todos Juntos Contra Corrupção. O evento de lançamento aconteceu no auditório da sede do Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP. O objetivo da campanha é mobilizar a sociedade no combate à corrupção por meio de ações de conscientização e de projetos educacionais que contribuam para a formação de cidadãos mais conscientes, íntegros e engajados. O evento contou com a presença do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e do ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, dentre outras autoridades.

A campanha é uma iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro - ENCCLA, que reúne mais de 70 órgãos e entidades em funcionamento no País. Por meio da denominada Ação 6 de 2017, da qual o COAF faz parte, a rede busca consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção, fomentando a integridade social e a educação para a cidadania.

Todas as peças de comunicação estão disponíveis no hotsite www.todosjuntoscontracorrupcao.gov.br e podem ser baixadas e compartilhadas pelos cidadãos. A página também traz orientações sobre como estabelecer parcerias para produção de cartazes, camisetas, banners e outras formas de divulgação do conteúdo. 

Projetos

Durante o lançamento, foi divulgado o edital de chamamento público que visa a selecionar e certificar iniciativas educacionais, já implementadas ou embrionárias, que tenham como objetivos a prevenção primária à corrupção, o fomento à integridade social e a educação para a cidadania. As propostas selecionadas serão disponibilizadas, no final de 2017, à sociedade, para livre consulta e replicação, em um banco de propostas acessível pela internet.

A prevenção primária à corrupção pode ser entendida como toda ação voltada para crianças, adolescentes e adultos, no ambiente escolar, acadêmico, organizacional ou comunitário, com intuito de promover a formação de cidadãos conscientes e mais participativos no enfrentamento à corrupção, tornando-os mais imunes à prática deste crime e mais envolvidos com o controle social.

A criação do banco de propostas promoverá a aproximação entre os gestores dos sistemas educacionais e possíveis parceiros apoiadores, como empresas, órgãos públicos, academia e entidades do terceiro setor. O intuito é a implementação ou replicação das melhores propostas, tanto pelo apoio financeiro quanto pelo compartilhamento de experiências e conhecimentos.

Os projetos devem ser submetidos por meio do site www.todosjuntoscontracorrupcao.gov.br . O edital completo, com todos os detalhes, está disponível nessa página. 

Por que combater a corrupção?

A corrupção enfraquece a cidadania e a democracia, atrasa o desenvolvimento econômico e social, ressalta privilégios e desigualdades, enfraquece a representação política, diminui a efetividade das políticas públicas, aumenta a desconfiança da sociedade nas instituições e inibe a justiça social.

Segundo estudos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o País perde com a corrupção, todos os anos, cerca de 2,3% do PIB, algo em torno de 145 bilhões de reais, que poderiam ser investidos para melhorar os bens e serviços oferecidos à população. Saúde, educação e obras de infraestrutura são algumas das áreas de maior concentração de desvios. Isso contribui para que o Brasil, apesar de ser uma das dez maiores economias do mundo, continue muito mal classificado no Índice Mundial de Desenvolvimento Humano, ocupando a posição de nº 75, dentre 188 países pesquisados.

Fonte: Coaf