Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Dezembro > Arrecadação federal soma R$ 115,089 bilhões em novembro de 2017

Notícias

Arrecadação federal soma R$ 115,089 bilhões em novembro de 2017

Contas públicas

Com exclusão de fatores não recorrentes e do aumento de arrecadação com PIS/Cofins, houve aumento de 3,23% na comparação com o mês anterior
publicado: 19/12/2017 16h51 última modificação: 20/12/2017 17h18

A arrecadação total das Receitas Federais atingiu, em novembro de 2017, o valor de R$115.089 milhões. No período acumulado de janeiro a novembro de 2017, a arrecadação registrou o valor de R$ 1.204.566 milhões. Quanto às Receitas Administradas pela RFB, o valor arrecadado em novembro de 2017 foi de R$ 113.198 milhões, enquanto que, no período acumulado de janeiro a novembro de 2017, tal valor chegou a R$ 1.169.872 milhões.

Para comparar o resultado da arrecadação apurado este ano com o do ano anterior, faz-se necessário registrar a arrecadação extraordinária concentrada em outubro de 2016 motivada pelo Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária – RERCT (fator não recorrente), no valor de, aproximadamente, R$ 46 bilhões. Por outro lado, em 2017, houve influência significativa da arrecadação dos parcelamentos especiais (PRT/PERT), arrecadação do PIS/Cofins sobre combustíveis, em decorrência da elevação das alíquotas aplicáveis à gasolina e diesel, das
atividades de fiscalização e cobrança, e da melhora do desempenho da atividade econômica.

Excluindo-se os efeitos dos fatores não recorrentes e do aumento da arrecadação devida ao reajuste das alíquotas do PIS/Cofins, a arrecadação, no mês de novembro de 2017, mostra um crescimento real de 3,23%, e no período acumulado de janeiro a novembro de 2017, mostra um crescimento real de 1,08%.

De acordo com o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros, auditor-fiscal Claudemir Malaquias: "O resultado da arrecadação das receitas federais apresentou um desempenho positivo em relação ao mesmo período de 2016. Houve um acréscimo real no montante arrecadado, sobretudo em função das ações especiais de fiscalização e cobrança, dos parcelamentos PRT e PERT, além da elevação das alíquotas do PIS/Cofins sobre combustíveis e a recuperação da atividade econômica. A conjugação destes fatos contribuiu para o resultado positivo dos onze primeiros meses do ano."

Confira os relatórios do resultado da arrecadação.

Assista a entrevista com chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros, auditor-fiscal Claudemir Malaquias

Fonte: Receita Federal