Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > Dezembro > Dyogo Oliveira é nomeado secretário-executivo

Notícias

Dyogo Oliveira é nomeado secretário-executivo

Nota à imprensa

Dyogo retorna à pasta, onde já havia construído uma consistente carreira
publicado: 22/12/2015 00h00 última modificação: 12/04/2016 19h40

Com graduação e mestrado em Ciências Econômicas pela Universidade de Brasília, Dyogo Henrique de Oliveira foi nomeado nesta terça-feira (22/12/2015) Secretário-Executivo do Ministério da Fazenda, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União. Dyogo desempenhava a função de secretário-executivo no Ministério do Planejamento, posição assumida em janeiro.

No Ministério da Fazenda, o economista já havia ocupado, no período de 2013 a 2014, o cargo de Secretário-Executivo interino, após construir uma consistente carreira na Pasta, em que se encontrava desde 2006, quando ingressou como assessor da Secretaria de Política Econômica. No mesmo Ministério, Dyogo desempenhou também as funções de Coordenador-Geral de Análise Setorial, Secretário-Adjunto da Secretaria de Política Econômica e Secretário-Executivo Adjunto.

O economista participou da proposição de medidas para o enfrentamento da crise financeira de 2008/2009; na área de regulamentação dos mercados financeiros, de seguros e de previdência complementar; de natureza tributária e de reformulação dos fundos garantidores da União. Participou ainda da formulação e acompanhamento de programas governamentais como o PAC, a Política de Desenvolvimento Produtivo e o Minha Casa, Minha Vida. Responsável pela análise de conjuntura econômica – particularmente, dos setores industriais, do comércio e dos serviços, do comércio exterior, dos mercados financeiros e de crédito – Dyogo teve participação ainda no Financial Stability Board do FMI e no Comitê de Mercados Financeiros da OCDE.

Com especializações em Comércio Exterior, Negociações Internacionais e Câmbio pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/Brasília) e em Políticas Públicas e Gestão Governamental pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), o economista também atuou no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Na Pasta, ele desempenhou, de 1998 a 2006, as funções de assessor da Secretaria de Tecnologia Industrial e de Supervisor de Programas da Secretaria de Tecnologia Industrial.

Nos anos de 2001 e 2002, atuou ainda como professor universitário, lecionando Economia Internacional e Introdução à Economia no Departamento de Economia da União Educacional de Brasília (UNEB).