Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2013 > maio > Ministro diz que inflação está sob controle e é decrescente

General

Ministro diz que inflação está sob controle e é decrescente

Para governo, inflação está concentrada no setor de alimentos
publicado: 09/05/2013 15h45 última modificação: 26/05/2015 16h49

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira (9/5) que o Brasil deve terminar 2013 com crescimento econômico maior que o apresentado no ano passado, mesmo com as dificuldades ocorridas na economia internacional. “Estamos numa trajetória de crescimento gradual. Temos um mercado interno mais forte, a massa salarial continua subindo e a inadimplência está caindo”, destacou ao sair da reunião com a bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados.

Na avaliação do ministro, o PIB no primeiro trimestre terá melhor desempenho que no quarto trimestre de 2012. Ele citou os dados da produção industrial que cresceu 0,8% no período. “Isso representa um crescimento anual de 3%. Ao longo do ano, vamos ter um pouco mais de crescimento da indústria, o que é muito importante para o país”, comentou.

Mantega ponderou que ainda não dá para precisar o total do PIB dos três primeiros meses de 2013, pois, não saíram os dados do setor de serviço. “Porém, com os atuais indicadores, podemos verificar que haverá um crescimento em relação ao passado e sabemos que o investimento está crescendo fortemente”, destacou.

Inflação

Ao comentar sobre a inflação, Guido Mantega disse que ela está sob controle e vai cair nos próximos meses. “A trajetória da inflação é descendente no Brasil. Todas as previsões estão nesse sentido”.

Mantega reafirmou que a inflação está concentrada, principalmente nos preços de alimentos e que o governo está tomando as medidas necessárias para impedir a difusão e contágio em outros setores. “A inflação não é generalizada, está concentrada no setor de alimentos e vai cair nos próximos meses”.

De acordo com o ministro, nos últimos anos, a inflação apresenta uma trajetória semelhante: ela sobe no final do ano, se mantém alta nos primeiros meses e depois cai. “Esse ano tivemos uma pressão mais forte dos alimentos, que foi causada por problemas no exterior, como a seca nos EUA e também no Brasil”.

Sobre o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril, que cresceu 0,55%, o ministro da Fazenda acrescentou que, mesmo um pouco acima do previsto, foi menor que o constatado no mesmo período 2010 e 2011.

ICMS

Questionado quanto à aprovação do projeto de reforma o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o ministro afirmou que as emendas aprovadas no Senado Federal distorceram o projeto inicial enviado pelo governo. “O projeto que mandamos equilibrava o interesse dos vários estados. O ICMS é uma questão federativa, de 27 estados, e não pode haver prejuízos para este ou aquele estado”.

Segundo Mantega, as emendas aprovadas não tornam o projeto equilibrado e o governo não irá apoiá-lo. “Esse projeto nós não apoiamos e se não houver mudanças não vamos viabilizar essa aprovação", concluiu.