Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2013 > dezembro > PIB brasileiro acumula crescimento de 2,4% no ano

General

PIB brasileiro acumula crescimento de 2,4% no ano

Ministro Guido Mantega ressalta que economia segue trajetória gradual de crescimento
publicado: 03/12/2013 13h10 última modificação: 26/05/2015 16h49

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira (3/12) que, a julgar pelo crescimento acumulado no ano de 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), “a economia brasileira continua numa trajetória de crescimento gradual e deve manter o ritmo no próximo trimestre”. Segundo o ministro, esse crescimento ocorre principalmente devido aos investimentos. “Esse setor vai ter um dos maiores crescimento este ano e deveremos terminar 2013 com alta em torno de 6% nos bens de capital, em relação ao ano anterior”, completou.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira o desempenho da economia brasileira no terceiro trimestre, que apresentou queda de 0,5% em comparação com o segundo. Este, por sua vez, foi revisado pelo instituto para 1,8%.

Na avaliação do ministro da Fazenda, o forte crescimento do segundo trimestre dificultou o registro de um bom desempenho no terceiro, já que a base de comparação foi alta.  Entretanto, o resultado do terceiro trimestre vai favorecer o crescimento nos três últimos meses do ano. "Pelo que se percebe do movimento da economia, deveremos ter um crescimento positivo no quarto trimestre, com aumento do consumo e da atividade”, ressaltou em entrevista concedida em São Paulo. 

Ao comentar o resultado do PIB, Guido Mantega também destacou o crescimento de 2,3% nos últimos quatro trimestres, frente aos quatro períodos imediatamente anteriores (2%).  “Estamos em trajetória de crescimento e recuperação, talvez não na velocidade que queríamos, mas nenhum país esta conseguindo isso”, afirmou.

Ainda de acordo com o ministro, 2013 não foi um ano fácil para a economia mundial, que continuou sentindo os reflexos da crise internacional. Entretanto, mesmo assim, o Brasil conseguiu apresentar um desempenho melhor que em 2012.