Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2011 > outubro > Superávit de R$ 139 bilhões continua como meta fiscal para 2012

General

Superávit de R$ 139 bilhões continua como meta fiscal para 2012

publicado: 19/10/2011 00h00 última modificação: 26/05/2015 16h50
Conteúdo multimídia

 

19/10/2011

 

EXECUÇÃO FISCAL

Superávit de R$ 139 bilhões continua como meta fiscal para 2012
Cenário de crise internacional é motivo de constante avaliação e crescimento deve ser equilibrado, afirma secretário

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, afirmou, nesta quarta-feira (19), que mantém a previsão de emissões externas ainda em 2011. Após participar de reunião fechada na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, em Brasília, o secretário sinalizou que a probabilidade maior é de que a emissão seja feita com papeis atrelados ao dólar. Augustin disse, porém, que nem a moeda nem o momento estão definidos.

“Estamos num momento de turbulência internacional forte, mas achamos que, dado os fundamentos muito fortes do Brasil, é muito provável que façamos ainda este ano emissão do Tesouro”, declarou Augustin a jornalistas na saída da reunião. Segundo ele, as emissões são qualitativas, ou seja, dependem do mercado e têm o objetivo de melhorar a curva de juros.

Augustin disse também que o cenário internacional de crise vem sendo objeto de grande preocupação do governo e que a situação observada na Europa e nos Estados Unidos pode trazer efeitos negativos ao Brasil, assim como a todos os outros países. “Nossa condição de uma economia integrada ao mundo faz com que, quando um [país] no mundo cresce menos, isso traga dificuldades para o nosso crescimento”, explicou o secretário.

Ele observou, no entanto, que a solidez na economia do Brasil dá condições a que o país enfrente bem a crise. “Vamos procurar fazer com que seja menos danoso para a economia brasileira”, comentou.

O crescimento equilibrado também é preocupação constante em momentos de crise, segundo o secretário do Tesouro. Para ele, as ações corretas são mais relevantes do que as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). ”Trata-se de estar permanentemente atento e agindo”, afirmou.

Sobre a condução da política fiscal para 2012, o secretário disse que ainda é cedo para estimativas e reafirmou que, por enquanto, o objetivo do governo é o superávit primário cheio, de R$ 139 bilhões. “O mix que nós optamos [para 2011] e que já está concretizado, por meio de um primário maior, foi de uma política fiscal mais rígida para ter mais espaço para uma política monetária”, justificou.

Arquivo de áudio.Download do áudio com os comentários do secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin.

Duração: 7m00s
Formato: MP3
Tamanho:
821 Kb
Taxa de bits: 
16 kbps
Acervo: Ministério da Fazenda
Status
: Áudio sem edição