Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2011 > dezembro > Déficit da Previdência reduziu 12,8% de janeiro a novembro

General

Déficit da Previdência reduziu 12,8% de janeiro a novembro

publicado: 22/12/2011 00h00 última modificação: 26/05/2015 16h50
Conteúdo multimídia

22/12/2011
Governo Central

Déficit da Previdência reduziu 12,8% de janeiro a novembro
Secretário ressalta tendência de queda do déficit do setor

O Governo Central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) apresentou, no mês de novembro, superávit primário de R$ 4,6 bilhões contra R$ 11,2 bilhões em outubro. No acumulado do ano, o superávit foi de R$ 91,1 bilhões, superior em R$ 26,6 bilhões em relação ao mesmo período do ano passado. A meta do governo é atingir, este ano, R$ 91,8 bilhões.

Segundo o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, esse é o melhor resultado em 12 meses e o segundo melhor do mês de novembro, perdendo apenas para 2009 (R$ 10,6 bilhões) e no acumulado do ano, quando 2008 atingiu superávit maior (R$ 91,4 bilhões).  

O secretário comentou ainda o resultado da Previdência Social Urbana e Rural. No acumulado, o resultado é de R$ 40,4 bilhões, sendo R$ 50,9 bilhões na Rural e R$ 10,5 bilhões na Urbana. “Vemos uma tendência forte na redução do déficit da Previdência”, afirmou o secretário, referindo-se à redução de R$ 5,9 bilhões (12,8%) quando comparado com o período de janeiro a novembro de 2010, quando o déficit foi de R$ 46,4 bilhões.

As transferências a estados e municípios totalizaram R$ 15,2 bilhões em novembro, mantendo o mesmo patamar do mês anterior. No acumulado, o valor chega a R$ 153,1 bilhões, crescimento de R$ 29,1 bilhões em comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 124 bilhões). As receitas, em relação ao PIB Nominal, cresceram 8,1% e as despesas caíram 0,8%.  

Investimento  

Os investimentos totais (em valores pagos) no acumulado do ano caíram 2,7% (de R$ 39,8 bilhões para R$ 38,8 bilhões). Já os desembolsos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) cresceram 17,2% no período, passando de R$ 19,5 bilhões para R$ 22,8 bilhões.  

Para o secretário, o ritmo do investimento no Brasil depende de várias questões. Uma delas foi a troca de equipe que ocorre, por exemplo, numa mudança de governo. Outra questão, segundo ele, é a entrada de projetos novos, como o PAC 2. “É normal que no início demore um pouco para ocorrer o pagamento”, disse.  

Arquivo de áudio.Download do áudio com a apresentação do secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin.

Duração: 16m15s
Formato: MP3
Tamanho:
1,85 Mb
Taxa de bits: 
16 kbps
Acervo: Ministério da Fazenda
Status
: Áudio sem edição