Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2010 > abril > CMN fixa preço mínimo para o café e estimula a cultura de dendê

Geral

CMN fixa preço mínimo para o café e estimula a cultura de dendê

publicado: 29/04/2010 00h00 última modificação: 18/10/2016 19h04

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, nesta quinta-feira (29), o preço mínimo do café arábica em R$ 261,69 e em R$ 156,57 do café robusta, para a saca de 60 kg referente à safra 2009/2010. Segundo o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, a manutenção dos preços se deve a redução dos valores dos insumos e o não aumento dos custos de produção do café. A medida passa a valer a partir do mês de maio e esses preços vão vigorar até a próxima safra.

O Conselho também aprovou normas de estímulo ao plantio de dendê em áreas degradadas. De acordo com Bittencourt, o Programa de Plantio Comercial e Recuperação de Florestas (Propflora) e o Programa de Estímulo à Produção Agropecuária Sustentável (Produsa) terão prazo de financiamento de até 12 anos, com carência de até seis anos (antes a carência era de três anos).

A resolução também elevou de R$ 200 mil para R$ 300 mil o limite de crédito por beneficiário no Propflora e retirou as restrições de crédito independentemente do destino do óleo de dendê, que antes permitia apenas o financiamento para a utilização do óleo na produção de biodiesel.

Com a resolução o Produsa passa a incentivar a cultura de dendezeiros em áreas desmatas, com taxa efetiva de juros de 5,75% ao ano nos financiamentos.