Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2010 > abril > CMN amplia limites de programa de investimento do BNDES

General

CMN amplia limites de programa de investimento do BNDES

publicado: 29/04/2010 00h00 última modificação: 18/10/2016 19h03

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quinta-feira os novos limites das linhas de financiamentos do BNDES destinados a produção, aquisição e exportação de bens de capital e produção de bens de consumo duráveis para exportação. O Programa de Sustentação de Investimento (PSI), que tem subvenção do governo federal, foi ampliado de R$ 44 bilhões para R$ 124 bilhões.

Para financiamento da compra de ônibus e caminhões (pessoa jurídica), o limite passou de R$ 10,5 bilhões para R$ 28 bilhões e a taxa de juros para o tomador final será de 7% até 30 de junho deste ano e 8% a partir de 1º de julho. Para o compra de caminhões (Procaminhoneiro), o montante passível de subvenção, que era de R$ 2 bilhões, passou para R$ 8,6 bilhões. A taxa de juros se manteve em 4,5%.

No caso de financiamento de aquisição de bens de capital, o limite aumentou de R$ 18 bilhões para R$ 62,5 bilhões, com taxa de juros de 4,5% até 30 de junho e 5,5% a partir de julho. Deste montante, R$ 8 bilhões serão destacados para projetos de usinas hidrelétricas, com a mesma taxa de juros. Antes, o valor destinado para estes projetos era de R$ 7bilhões.

O chefe da Assessoria Econômica da Secretaria do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, explicou que o valor é separado porque os prazos de reembolsos para esse tipo de investimento são diferentes dos demais financiamentos. O prazo para esta linha específica ficou mantido em 360 meses (30 anos), incluído 108 meses de carência.

Para financiamento de exportação de bens de capital o limite passou de R$ 8,6 bilhões para R$ 15,9 bilhões. A taxa de juros aumentou de 4,5% para 5,5%.

Ainda dentro do PSI, O CMN aprovou uma nova linha de crédito no valor de R$ 7 bilhões para financiar exportação de bens de consumo duráveis (eletrodomésticos, eletro-eletrônico, automóveis, etc). A taxa será de 7% até 30 de junho e passa a 8% em julho.

O secretário-adjunto de Política Econômica, Dyogo Oliveira, explicou que o reforço tem como objetivo melhorar o desempenho das exportações brasileiras. “O setor exportador está enfrentando um competição forte no mercado internacional e o crédito é uma arma importante para que o Brasil mantenha os fabricantes em pé de igualdade com a concorrência”.

Foram mantidos os limites para financiamento de inovação tecnológica e para capital inovador – R$ 1 bilhão cada. As taxas de juros são de 3,5% e 4,5%, respectivamente.

 

Linhas de Financiamento Taxa de juros para operações contratadas até 30 de junho de 2010 Taxa de juros  para operações contratadas a partir de 1° de julho de 2010 Limites vigentes Novos limites
Ônibus e Caminhões 7,00% 8,00% 10.500.000.000,00 28.000.000.000,00
Procaminhoneiro 4,50% 4,50% 2.000.000.000,00 8.600.000.000,00
Bens de capital (alínea c) 4,50% 5,50% 18.000.000.000,00 62.500.000.000,00
Pós-embarque Libor

-

1.400.000.000,00

-

Bens de capital (pré-embarque) 4,50% 5,50% 8.600.000.000,00 15.900.000.000,00
Bens de consumo  (pré-embarque 7,00% 8,00%

-

7.000.000.000,00
Inovação tecnológica 3,50% 3,50% 1.000.000.000,00 1.000.000.000,00
Capital inovador 4,50% 4,50% 1.000.000.000,00 1.000.000.000,00