Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Medidas para o setor elétrico vão atenuar custo temporário da energia

“Não haverá qualquer alteração nos contratos do setor elétrico”, destacou Mantega

13/03/2014

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quinta-feira (13/3) medidas para que o setor elétrico possa equacionar o aumento temporário do custo da energia elétrica no País. O ministro justificou a necessidade das medidas destacando que este ano existe uma redução no volume de chuvas que se refletiu num menor nível dos reservatórios e isso obrigou o acionamento das termoelétricas.

“Como todos sabem as termoelétricas produzem energia mais cara do que as hidroelétricas, algo como quatro, cinco, seis vezes a mais. E, portanto, isso encarece o custo da energia”, afirmou o ministro, em entrevista coletiva na qual participaram autoridades responsáveis pela gestão do setor elétrico.

Para atenuar o problema, informou o ministro da Fazenda, serão adotadas medidas para dividir esses custos entre a União, os consumidores e o setor elétrico. Dentre elas, está a realização de um leilão da energia hidro e térmica disponível que irá diminuir o custo médio das distribuidoras, pela contratação de energia mais barata do que o preço atual. “Esse leilão resolverá parte do problema”, disse o ministro.

A outra parte contará com aporte adicional do Tesouro Nacional da ordem de R$ 4 bilhões e autorização para que a Câmara de Compensação de Energia Elétrica (CCEE), um organismo privado que reúne geradoras e distribuidoras, tome recursos financeiros no mercado. O ministro Mantega frisou que não haverá qualquer mudança nos contratos em vigor. “Quero dizer que não há nenhuma alteração nas regras contratuais existentes no setor elétrico nessa data”, garantiu o ministro.

Veja aqui a apresentação de todas as medidas anunciadas. 

Renato Costa

Fonte Assessoria de Comunicação Social - ACS

Ações do documento