Mário Henrique Simonsen

publicado 24/04/2015 11h32, última modificação 17/05/2017 16h37
MÁRIO HENRIQUE SIMONSEN
* Rio de Janeiro (RJ) 01.01.1935 
† Rio de Janeiro (RJ) 09.02.1997

Ministro de Estado da Fazenda

Mário Henrique Simonsen

Oficial da Reserva da Marinha formou-se em Engenharia Civil com especialização em Engenharia Econômica e Economia atuando como Consultor de inúmeras empresas privadas e ligando-se à Fundação Getúlio Vargas onde ocupou várias funções passando a dirigir a Escola de Pós-Graduação em Economia a partir de 1965.

Consagrado como técnico desde o início da sua carreira profissional participou ativamente da instituição da correção monetária da formulação da política salarial e de diversos estudos vinculados às áreas cambial industrial e habitacional particularmente no Governo do Marechal Humberto de Alencar Castello Branco.

Esteve à frente do MOBRAL (Fundação Movimento Brasileiro de Alfabetização) durante o Governo do Presidente Emílio Garrastazu Médici. 

Convidado pelo Presidente Ernesto Geisel para exercer o cargo de Ministro da Fazenda executou com firmeza uma política econômica destinada a enfrentar a crise internacional decorrente da elevação abrupta dos preços do petróleo em 1973 obtendo-se índices satisfatórios de crescimento do produto real e dos níveis de emprego desde então ao mesmo tempo em que se superava com êxito a inflação reprimida aguda existente no início de 1974.

Dada a prioridade do Balanço de Pagamentos traçou uma estratégia de substituição de importações de insumos básicos e de revigoramento da política de comércio exterior concedendo maiores financiamentos às exportações as quais se elevaram de US$ 6.198 mil dólares (1973) para US$ 12.659 mil dólares (1978) com significativa presença dos produtos manufaturados onde tiveram lugar de destaque os incentivos estabelecidos pela CIEX (Comissão de Incentivos às Exportações) e pela BEFIEX (Comissão para Concessão de Benefícios Fiscais e Programas Especiais de Exportação) além das rodadas de negociações no âmbito do GATT (General Agreement on Tariffs and Trade/Acordo Geral de Tarifas Aduaneiras e Comércio) paralelamente aos acordos com os EUA (crédito-prêmio do IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados).

Consolidou com o desenvolvimento de novos cursos a formação de recursos humanos a cargo da Escola de Administração Fazendária (ESAF).

Com ampla participação de todos os segmentos da sociedade notadamente a área empresarial aperfeiçou a política fiscal introduzindo o sistema de bases correntes no imposto de renda além de obter do Congresso Nacional a nova Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404 de 15.12.1976) e criar a Comissão de Valores Mobiliários entidade autárquica vinculada ao Ministério da Fazenda (Lei nº 6.385 de 07.12.1976) visando a fortalecer o mercado brasileiro de capitais e o sistema da livre empresa.

Em 1979 ocupou o Ministério do Planejamento por cerca de cinco meses no Governo do Presidente João Baptista de Oliveira Figueiredo.

Escreveu vários livros sendo que na sua bibliografia destaca-se o seguinte:

- Teoria microeconómica  3ª ed. Rio de Janeiro Fundação Getúlio Vargas 1977.

- Macroeconomia  4ª ed. Rio de Janeiro APEC Ed. 1978-79.

Voltar